Renascimento e Otimismo nos Quadrinhos

Em tempos de Renascimento, é bom relembrar o otimismo e a esperança com boas histórias.

Os quadrinhos estão sempre dialogando com o mundo real, vemos os problemas e as críticas mensalmente nas bancas, seja nas revistas de super-heróis, seja nas distopias da Vertigo e Image ou nos independentes que muitas vezes trazem um teor mais denso e político. Mas não é só de problemas que as HQs vivem. Seu maior símbolo (pelo menos no que se refere à super-heróis) significa a esperança, ela está viva novamente nas revistas da DC Comics com a atual fase Renascimento.

Comemoremos tal fato com boas histórias que nos remetem ao otimismo característico das HQs.

Astro City é muito interessante visto sob este aspecto, a série em diversos momentos apresenta reflexões importantes para o leitor. Em uma de suas histórias chamada “Você tão Perto” vemos um homem tendo visões de uma mulher que não existe, o quadrinho vai fundo mostrando a importância dos que estão próximos a você e fazendo refletir sobre a sorte de tê-las próximas. Um dos heróis de Astro City deixa uma frase ao protagonista dessa edição antes de ir embora “Ninguém nunca esquece”, esse momento atravessa o leitor com toda a carga emocional que só a série de Kurt Busiek poderia trazer.

Apesar de Astro City apresentar um aspecto melancólico, temos outras grandes HQs que possuem belas mensagens. Grandes Astros Superman é uma das mais poderosas, utilizando o maior símbolo dos quadrinhos, Grant Morrison consegue nos mostrar a importância não só da vida, mas também de ter a esperança necessária para percorrê-la. Essa é considerada uma das melhores histórias do Superman e não é por menos. Se há um lugar para os roteiristas do Rebirth procurarem inspiração, com certeza é na obra de Morrison que consegue reunir o legado de um símbolo em belas doze edições.

Outra coleção que consegue emocionar facilmente o leitor é “Os Maiores Super-heróis do Mundo”, nesse encadernado temos o compilado de especiais sobre as lendas do Universo DC escritas por Paul Dini e ilustradas por Alex Ross, como “O Poder da Esperança” mostrando um Shazam ao lado de crianças doentes ou “Paz na Terra” com Superman matando a fome do mundo durante um dia. Os super-heróis possuem uma imagem forte quando falamos de boas ações e são perfeitos para ilustrar belas mensagens como as que vimos nessas histórias.

Recentemente a Marvel nos apresentou novas fases e visões de seus personagens clássicos, um Demolidor bem-humorado, Gavião Arqueiro em uma narrativa leve e agradável, Miss Marvel, entre diversos outros que além de serem histórias leves, nos trazem novamente a visão de que os quadrinhos de super-heróis não são apenas trevas e sangue.

Depois do estrondoso sucesso dos quadrinhos violentos e “adultos” na década de 90 e início dos anos 2000, uma certa essência veio sendo cada vez mais rara com o tempo, porém algumas figuras no mundo dos quadrinhos conseguiram mostrar aos leitores que em meio ao sucesso da sombra, a luz pode reinar entre o panteão de boas histórias.

Em momentos em que os maiores sucessos das editoras são Injustiças e Guerras Civis, é bom lembrar um pouco das HQs que nos inspiram e nos lembram o real motivo da admiração que temos por essas histórias. Não que os quadrinhos críticos que tratam de problemas sejam ruins, eles são necessários e figuram entre a lista de alguns dos melhores já feitos, tais como Velho Logan, Transmetropolitan, Hellblazer, Preacher, entre diversos outros já muito consagrados. Esses títulos sempre estarão nas rodas de discussão, tanto filosóficas quanto de quadrinhos.

Mas também é bom olhar para trás para reencontrar aquelas fascinantes figuras que nos cativaram pelo heroísmo e pela bondade acima de qualquer dificuldade que estejam enfrentando. Aproveitemos o Renascimento para reencontrar belas histórias que passaram e encontramos novas em uma prometida fase otimista dentro dos quadrinhos de super-heróis.

Anúncios

Sobre John Holland

Procurando significados em páginas de gibi enquanto viaja pelos trilhos do conhecimento e do metrô. Sempre disposto a discutir ideias e propagar os quadrinhos como forma de estudo, adora principalmente a Vertigo, está sempre disposto a conhecer novos quadrinhos e aprender o máximo de coisas possível!
Esse post foi publicado em John Holland e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s