Rebirth: Geoff Jonhs e o amor pela DC

DC-Comics-Rebirth-splash-Batman-Superman-Wonder-WomanO amor dos fãs salvará a DC das baixas vendas?

Quando a DC decidiu rebootar seu universo com Os Novos 52 foram poucos os fãs da velha guarda que aprovaram a medida. Antes disso, o último grande reboot da editora havia sido a clássica saga Crise nas Infinitas Terras, de 1985-86, que sepultou o Multiverso por uma decisão editorial. A avaliação na época era de que a cronologia da editora e a existência de outras Terras dificultava o acesso de novos leitores – o que não deixa de ser verdade. Detalhes no vídeo abaixo:

Claro que outras tentativas de reboots foram feitas pela editora, todas rechaçadas pelos fãs. A saga Zero Hora deveria ter sido um reboot, mas não foi, principalmente por conta da rejeição dos fãs, ainda que tenha reordenado toda a cronologia da editora.

zero hora

De todo modo, a chaga deixada pela Crise nas Infinitas Terras foi tão grande que o Multiverso voltou a fazer parte da DC com a saga Crise Infinita, escrita por Geoff Jonhs.

infinita

 A Crise Final também deveria ter sido um reboot, mas a pressão dos fãs fez a DC abandonar a ideia.

final

Mas em 2012 as baixas vendas da DC falaram mais alto que os fãs e, sem muito planejamento editorial,  Flashpoint, que era para ter sido uma saga restrita apenas ao Flash, tornou-se o início de um reboot de qualidade um tanto duvidosa. Veja a história do Multiverso mais detalhadamente aqui. 

flashpoint5

Ainda que com alguns arcos qualidade, com destaque para o Superman de Grant Morrison e o Aquaman de Geoff Johns, Os Novos 52 não se sustentaram. As linhas cronológicas do Batman e do Lanterna Verde, títulos que vendiam bem, não foram apagadas. Em compensação a cronologia do Superman foi totalmente alterada. Como conciliar essas inconsistências internas? A maioria fãs do Universo DC não perdoaram essa traição da editora.

Mas eis que a saga Convergence trouxe de volta a esperança aos velhos fãs. Talvez seus heróis ainda estivessem ali, em algum lugar do Multiverso, esquecidos, perdidos, mas ainda lá. O relativo sucesso de Convergence, ainda que tenha perdido de lavada em vendas para a saga concorrente, Guerras Secretas, provou que os heróis pós-Crise e a própria ideia de Multiverso ainda eram muito caros aos fãs para que fossem ignorados.

Convergence-teaser

E eis que para (mais uma vez) tentar agradar gregos e troianos surgiu DC: Rebirth. A prévia da nova fase da DC foi escrita pelo fanboy mais talentoso da Casa, Geoff Johns.

**** Spoilers daqui em diante, leia por sua conta e risco ****

DC-Rebirth-Shot-05

Você já leu a história. Se não leu, você deve ter lido tantos spoilers que talvez tenha até perdido a vontade de ler. Eu quase perdi. Quase.

A DC utilizou-se largamente da indústria do spoiler como estratégia de divulgação. Alguns sites e páginas do Facebook atingiram o máximo do desrespeito com o público colocando spoilers no título de seus posts – sem ler a saga eu já sabia que o Dr. Manhattan era o grande vilão e que existem três Coringas, por exemplo. Mas esse post não é sobre isso.

Para além da história, DC: Rebirth é um imenso pedido de desculpas da DC para seus fãs. Na saga, o Wally West pré-Novos 52 tenta sair da Speed Force e avisar os heróis dos Novos 52 sobre o grande vilão que criou aquela realidade, o Dr. Manhattan!

Os nomes dos capítulos e algumas frases são pura metalinguagem autorreferente da DC, ainda que o esforço didático de Johns fique claro.

No capítulo 1, Lost (Perdido) Wally West (com o uniforme de Kid Flash, só para constar) tenta avisar o Batman sobre o grande perigo, mas não consegue e a história de Wally West, personagem perdido na cronologia dos Novos 52, é mostrada, bem como uma muito breve recapitulação de Crise nas Infinitas Terras para os novos leitores.

rebirth 1

No capítulo 2, Legacy, Wally tenta contatar Johnny Thunder, personagem que já fez parte da Sociedade da Justiça. A frase Legacy isn’t forgotten (“o legado não é esquecido”) deixa claro o recado para os fãs.

rebirth 2

No capíulto 3, Love, Wally West diz que o que foi roubado pelo grande vilão não foram 10 anos que alteraram a cronologia e sim o amor, e que só o amor pode trazê-lo de volta. Por isso ele tenta em vão contatar Linda Park, seu grande amor, que não o reconhece. Novamente, o recado é óbvio: só o amor dos fãs pode trazer os antigos personagens de volta.

rebirth 3

No capítulo 4, Life, Wally encontra Barry Allen, que se lembra dele e o traz de volta à vida.

Mais óbvio que isso impossível: o legado do Multiverso DC podia estar perdido, mas não esquecido e somente o amor dos fãs pode trazê-lo de volta à vida.

rebirth 4

Mas ainda há um tom um tanto nefasto no Epílogo, em que ficamos sabendo que o grande vilão que adulterou o Multiverso foi o Dr. Manhattan, e as palavras de Geoff Johns na boca de Wally West não poderiam ser mais amargas, “A darkness from somewhere has infected us. ” ( “Uma escuridão de algum lugar nos infectou”).

É sabido que Watchmen (junto com O Cavaleiro das Trevas) com seus heróis cínicos em contato com problemas do mundo real ditaram uma tendência nos quadrinhos que chamamos de Era de Ferro, com heróis psicopatas e brutais e que a DC já há algum tempo vem tentando trazer de volta os elementos da Era de Prata, sendo o Multiverso o maior deles.

rebirth 5

Se você quer conhecer um pouco mais dessa história, não perca nosso curso Quadrinhos na História – Revisado e Ampliado, 16 de julho em São Paulo. Inscrições aqui e informações no vídeo abaixo.

Ainda por meio de Wally West, Johns diz que haverá uma guerra entre Esperança e Desespero, Amor e Apatia e Fé e Descrença, já provocando os leitores: qual será o seu lado?

Vendo as equipes criativas que assumirão os títulos na fase Rebirth, eu apostaria minhas fichas só na Mulher Maravilha escrita por Greg Rucka.

Será que o amor dos fãs salvará a DC das baixas vendas?

Veremos.

dr manhattan rebirth

 

Anúncios

Sobre Nerdbully

Mestre do Zen Nerdismo.
Esse post foi publicado em Nerdbully e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

7 respostas para Rebirth: Geoff Jonhs e o amor pela DC

  1. Thais Aux disse:

    Excelente crítica! Parece que vai ter mesmo um contraponto entre a visão cínica que as pessoas têm em relação aos super-heróis em Watchmen X a visão de esperança que todos sempre tiveram com os super-heróis da DC. Estou bastante empolgada pra ver o que vem por aí!

    • Nerdbully disse:

      Ola, Thais. Os primeiros títulos dessa fase saíram essa semana nos EUA. Li Batman e Superman, e até que achei interessante. E vc, chegou a ler?

  2. Pingback: 5 quadrinhos obscuros mas influentes da Era de Prata | Quadrinheiros

  3. Pingback: Quadrinheiros Dissecam E14S01 – CRISE nas Infinitas Terras | Quadrinheiros

  4. Pingback: A diversidade está causando uma crise na Marvel? | Quadrinheiros

  5. Pingback: O que esperar de The Button e Ressurrxion? | Quadrinheiros

  6. Pingback: Renascimento e Otimismo nos Quadrinhos | Quadrinheiros

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s