Adeus, Minoru Takanashi

Conheça um pouco mais da obra do produtor Minoro Takanashi, falecido recentemente.

Lembro bem de minha infância assistindo desenhos animados. Um deles era Guerra das Galáxias, como foi traduzido no Brasil o animê Macross (1982). Alguns anos depois tive a oportunidade de assistir novamente e a nostalgia emergiu como uma explosão . Talvez não por acaso, foi no “boom” do animê e mangá no Brasil, o início do acesso da internet nas residências e a proposta de ligar informações globais, permitindo que essa série e outras não estivessem tão distantes.

Region1_Macross_box_

Foi o que aconteceu, consegui assistir Macross Seven, Macross Plus, Macross II e o filme do clássico Macross. A partir dessa série, minha paixão por histórias relacionados a mecha foram aumentando, me encantei com Mobile Suit Gundam Gundam (que revolucionou a ideia de “robôs reais” nos animês de mecha, sendo muito respeitado entre os fãs e artistas – 1979), Gunbuster (como é mais conhecido, mas o nome original é Toppu wo Nerai e foi criado pela conceituada Gainax – 1988), Giant Robo (baseado na série clássica de super sentai de 1970 – 1992), Genocyber (série de animês estilo cyberpunk semelhante ao filme Akira – 1993) etc.

Quando Minoru Takanashi, faleceu (12/04/2017) me dei conta de foi ele quem havia produzido a maioria das séries de mecha que foram um sucesso no Japão e no exterior e que tanto marcaram minha infância.

Muitas vezes não nos preocupamos com quem produziu os animês, ficamos mais atentos aos criadores e desenhistas, mas sem a função do produtor dificilmente o animê conseguiria “sair do papel”, pois é ele quem financia e coordena os projetos e, muitas vezes, ele quem tem a iniciativa de desenvolver o trabalho.

Embora os produtores fiquem invisíveis para o público, Minoru Takanashi foi um produtor diferente, porque frequentemente ele era convidado para o evento Anime Expo (em Los Angeles) além de outros que ocorrem no mundo. Seu trabalho foi muito importante para a indústria de animê no Japão, pois produziu diversos desenhos do gênero mecha, marcando uma geração de robôs e ficção cientifica no período de 1980 e 1990. Mas ele não produziu apenas animês de mecha, Minoru arriscava-se a produzir diferentes histórias como Tenkû no Escaflowne (1996), que segundo o character design Nobuteru Yuki, não teria sido feito sem os “poderes” de produção e planejamento de Minoru Takanashi. Esta história possui um teor mais místico que científico, embora apareçam mechas, porém a narrativa gira em torno de Hitomi Kanzaki que foi transportada para o mundo de Gaea, lugar onde ela pode ver a Terra e a lua no céu.

escaflowne_kickstarter-1200x675

Outro projeto produzido por Minoru Takanashi foi Cowboy Bebop, o Filme (2001). Esta série de Shinichirô Watanabe (diretor e criador) foi inspirado no mangá Lupin III (1967), um animê que tem como personagem um detetive que desvenda crimes, inclusive o character design do Spike (personagem principal do Cowboy Bebop) lembra o personagem Lupin. Mas Cowboy Bebop, mostra caçadores de recompensa no interespaço, com meios digitais, tecnológicos, robóticos e cibernéticos que se misturam com uma estética visual e sonora de 1970. A produção do filme desta série permitiu o aumento no orçamento para que se utilizasse de estilos de filmagem de ação ao vivo para uma melhor qualidade para estética fílmica, em outras palavras, foi com o talento de Minoru Takanashi que este filme se tornou um sucesso e continua sendo uma referência a outras gerações.

Cowboy_Bebop_Knockin'_on_Heaven's_Door_poster

A habilidade de Minoru como produtor de animê não ficava apenas nas mesmas ideias, ele procurava dar liberdade aos criadores/artistas para que o produto final fosse o melhor possível. Em Macross, por exemplo, além de produzir novas histórias, Minoru estava com uma proposta em produzir um filme live-action desta série, mas infelizmente não conseguiu. Seu último trabalho foi o anime Concrete Revolution (2015) e o desenvolvimento de produtos para Uchû Senkan Yamato 2199 (2014).

44f597ebb19ece67f9f65ada3bb512221492001481_large

Minoru Takanashi faleceu aos 54 anos, mas produziu muitos trabalhos que marcaram gerações e que ainda permanecem atuais, com um olhar além do seu tempo, certamente inspirara novas gerações de criadores e produtores.

Nota: para conferir a produção de Minoru Takanashi clique aqui. 

Anúncios

Sobre Mochi

Atingiu o estado de Olhos Grandes nas ilhas do Oriente Silencioso.
Esse post foi publicado em Mochi e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Adeus, Minoru Takanashi

  1. Stefano disse:

    Triste com a notícia!!! Morreu na flor da idade!! Poderia ter vivido mais !!
    Grande artista

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s