Capitão América: O Soldado Invernal é o melhor filme da Marvel até agora?

Nós, Quadrinheiros, embora limpinhos, somos pessoas de recursos exíguos. Por meio de enormes esforços, compromissos, favores e promessas de alto custo, porque queremos oferecer nada menos que o melhor para nossos leitores, quebramos nossos porquinhos de louça e mandamos um enviado especial para Washington, DC.

Furando todos os jornais e magazines de grande circulação no país (exceto aqueles de maior cacife do que nosso), aqui vai a resenha quadrinheira do primeiro filme heroístico do ano-fiscal de 2014, Capitão América: o Soldado Invernal!

ATENÇÃO!!! O TEXTO CONTÉM SPOILERS!! (Mas nenhum a mais que já não tenha sido mostrado nos trailers do filme!

poster

Cenário: New Jersey, 1942 (Universo Marvel 616?)

Steve Rogers, o recruta idealista escolhido como cobaia do programa Supersoldado, tem a chance de lutar, a pleno vapor, no maior e mais justo de todos os conflitos da história, a 2a Guerra Mundial. Artificialmente feito um herói, Rogers virou o Capitão América, símbolo de uma nação.
Captain America: The First AvengerJamais houve mal tão claramente cruel como o nazismo e seus asseclas, a Hydra. Ao lado de seu melhor amigo, Bucky Barnes e do apoio dos Howling Commandos, o Capitão varreu a Hydra da face da Terra em ousadas missões na Fortaleza Europa. Mas não sem custos: Bucky fora lançado de um trem, desaparecido para sempre, provavelmente morto. O Capitão, por sua vez, sacrificou-se para impedir um ataque da Hydra a Nova York.

caps

E 70 anos se passaram…

Milagrosamente, o Capitão sobreviveu. Despertou a tempo de juntar-se a outros heróis e impedir uma enorme invasão alienígena ao lado dos Vingadores.

?Marvel's The Avengers?.. Thor (Chris Hemsworth) and Captain America (Chris Evans) join forces in ?Marvel?s The Avengers,? opening in theaters on May 4, 2012.  The Joss Whedon?directed action-adventure is presented by Marvel Studios in association with Paramount Pictures and also stars Robert Downey Jr., Mark Ruffalo, Scarlett Johansson, Jeremy Renner and Samuel L. Jackson. ..© 2011 MVLFFLLC.  TM & © 2011 Marvel.  All Rights Reserved.

E depois?
Cenário: Washington, DC, 2014

Uma relíquia do passado deslocada no tempo, o Capitão voltou a fazer a única coisa que sabe: servir às forças armadas.

Estas já não são mais as mesmas. Não mais no Exército, Rogers serve à Shield, uma onipotente força militar, de ação ostensiva em todo planeta, com altíssima mobilidade tática e com tecnologia de ponta.

Cap
A guerra também não é mais a mesma. Afinal, qual é a função de um soldado se não há mais guerras a vencer? Enquanto tenta descobrir, o Capitão América obedece as curtas ordens de Nick Fury (Samuel L. Jackson, pelo jeito interpretando a si mesmo mais uma vez). As ordens de Fury são missões de resgate, mas com agendas secretas bem suspeitas. Rogers, um idealista antes de ser soldado, é corroído por perguntas.

Essas dúvidas são o coração de O Soldado Invernal. Interpelado por Rogers, Fury abre os porões da SHIELD e mostra o verdadeiro arsenal que o órgão dispõe, suficiente para neutralizar pessoas ou nações inteiras com eficiência idêntica.

Vemos o mundo como ele é, não como gostaríamos que fosse. Impedimos várias ameaças antes que elas aconteçam”, diz Fury. No que Rogers repica: “Eu pensei que a punição viesse depois do crime”.

Cap e Fury

Celebridade insone, Steve Rogers corre incansável pelo centro da cidade. Sua única companhia é Sam Wilson, veterano das últimas guerras americanas. Este divide com Rogers o desconforto de voltar para casa depois de anos de luta. A paz custa a paz de espirito de velhos soldados. É essa cumplicidade entre os dois que garante a participação de Wilson, o Falcão, parceiro e coadjuvante do Capitão na acepção mais precisa do termo.

FalconO gatilho que desenrola o filme é o atentado contra Nick Fury. Seu algoz é o Soldado Invernal, um mito da espionagem internacional nos últimos 50 anos. A identidade do assassino, pra quem já leu os quadrinhos de Ed Brubacker, não é nenhum segredo. Trata-se de Bucky Barnes, amigo de infância do Capitão, dilacerado física e mentalmente por anos de guerras. Essa informação é dada pela Viúva Negra, uma Scarlett Johansson contida pelo papel que lhe cabe na película.

Capitão_e_Viúva
Mais importante que a atriz, a personagem tem funções interessantes na trama de O Soldado Invernal. Ela não sofre os dilemas morais, de a quem ou por que servir, como Rogers. O contraste posiciona e caracteriza os dois heróis, o que nem mesmo os quadrinhos conseguem em muitas histórias.

Depois do atentado, Steve Rogers é o último a ver Fury com vida. Por se recusar a contar maiores detalhes ao secretário geral da Shield, Alexander Pierce (Robert Redford, descontando o cheque) o Capitão América é declarado inimigo público e caçado com todo vigor pelos agentes da Shield.

Cap e Pierce
Porção mais frágil do filme, a segunda parte é a busca pessoal de Rogers por respostas. Ao desvendá-las, (com saborosos detalhes para aqueles que amam quadrinhos) estas respostas vão mudar drasticamente a face do universo Marvel no cinema (e televisão, se considerarmos o fraquinho Marvels Agents of SHIELD). E isso é ótimo! O potencial de enredos e abordagens para os filmes seguintes de todos os heróis da Marvel é intrigante.

Cris Evans, que jamais foi um ator de grande profundidade dramática, neste filme, cai como uma luva no papel, até ainda mais do que no primeiro filme ou mesmo em Vingadores (onde foi inevitavelmente ofuscado por Robert Downey Jr). Um sujeito deslocado, totalmente ingênuo, em meio a interesses, segredos e forças que ele não conhece ou compreende, tentando fazer apenas o que lhe parece certo. O resultado é uma atuação honesta, convincente, totalmente fiel ao Capitão América dos quadrinhos. Uma grata surpresa para aqueles que ainda tinham dificuldade de dissipar da memória a imagem de Evans como o Tocha Humana.

chris evans
Por frágil, porém, não se entenda que a segunda parte de O Soldado Invernal seja ruim. Ela apenas dá mais espaço para a ação. Algo que foi bem incômodo no primeiro filme, a ausência de cenas do Capitão em ação, desta vez, são compensadas. Com juros e correção monetária. Finalmente acontece na tela aquilo que só vimos nos quadrinhos o super soldado ser capaz de fazer. Ele é rápido e ágil como um acrobata, mas tem a força e destreza de um lutador de MMA. Como poucas vezes acontece no cinema, em O Soldado Invernal, o duelo físico ganha o verniz fascinante da arte, a arte marcial.

wsAs críticas de Rogers à Shield, “Isso não é liberdade, é medo.”, têm uma conotação atual muito clara. O arsenal da Shield (assim como o uso do próprio Capitão América por ela) é uma alusão evidente aos drones, aos sistemas de monitoramento de dados praticado pelas agências de segurança dos Estados Unidos ou sabe-se lá quais outros recursos o país usa em nome da segurança. Num mundo que passou pelo trauma dos ataques do 11/9, as velhas noções de certo e errado, dos direitos civis, especialmente o da liberdade, ficaram turvas, confusas, passíveis de reflexão.

capblwdw

A definição de conceitos (como vigilância, suspeito, inimigo) e direitos (como liberdade, justiça, segurança) hoje são alvos de debates delicadíssimos nos três poderes americanos, foco de pesquisas avançadas nas áreas de Direito, Relações Internacionais, História. Já para Rogers, essa reflexão é absurda. Não há o que se discutir. Ele vem de um tempo em que justiça e liberdade são invioláveis, de regras claras. Foi pela preservação desses direitos que ele havia lutado na 2ª Guerra. Aqui, é pela restauração destes direitos que Rogers deixa de ser um fiel soldado para ser, finalmente, o capitão das próprias decisões. Mas, como o filme só tem duas horas, cabe a ele achar um culpado.

Cap fogeQuase inteiramente passado em Washington, o filme transpira a capital americana. O filme é quase um catalogo turístico, a começar pelos ônibus e viaturas policiais, distintamente da capital. A sede da Shield fica atrás do Lincoln Memorial, no meio do rio Potomac, entre DC e Arlington. Da vista da janela de Pierce/Redford vê-se o Watergate Hotel, local pivô do escândalo que levou ao impeachment do ex-presidente Richard Nixon. Pela aparência, o apartamento de Rogers fica em Scott Circle, no centro da cidade, bem próximo à Casa Branca. O local que Rogers e o Falcão costumam correr, normalmente repleto de atletas amadores, são as avenidas Independence e Constitution, que ligam o capitólio à Casa Branca, os memoriais de guerra e os museus do Smithsonian (onde o próprio capitão faz parte do acervo). Os hangares dos porta aviões aéreos da Shield estão justamente sob a superfície do rio que separa DC da Virginia.

helicarrierhangar

Não só por conta da escolha do cenário, talvez poucos filmes tenham sido tão diretamente políticos como este episódio do Capitão América. Mas isso não quer dizer que ele seja… “moralizante”. Não é. Esse é o mérito de Capitão América: O Soldado Invernal. Você pode discordar do herói, do que ele representa, do que ele diz ou faz. Mas não se pode dizer que o filme seja omisso diante de um desconforto global. Nada mal para um filme de super-herói.

 

* Nossa gratidão à Profa. Dra. Cristina Pacheco, Fullbright Scholar, e uma formidável guia turística de Washington DC.

Anúncios

Sobre Velho Quadrinheiro

Já viu, ouviu e leu muita coisa na vida. Mas não o suficiente. Sabe muito sobre pouca coisa. É disposto a mudar de idéia se o argumento for válido.
Esse post foi publicado em Velho Quadrinheiro e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

9 respostas para Capitão América: O Soldado Invernal é o melhor filme da Marvel até agora?

  1. Toddy Toddy disse:

    Show, ótima resenha!!!!!!!!!!

  2. Não sou fã do Capitão América, não gostei da escolha do Cris Evans para o papel, achei o primeiro filme fraco e atuação de Evans foi muito eclipsada por quase a de todos os outros atores em Os Vingadores, mas essa resenha me fez ter vontade de assistir o filme. Espero que seja realmente bom como dizem!

    • Nerdbully disse:

      Se não for bom pode voltar aqui e xingar o Velho Quadrinheiro! Ele deixou todo mundo com vontade de ver o fime com essa resenha. Rs.

      • Velho Quadrinheiro disse:

        Ou o Nerdbully, que deu o título!

      • Bom, finalmente assisti o filme (demorou um pouquinho demais, eu sei, mas tive bons motivos) e o meu veredicto é de que, pode até não ser o melhor filme da Marvel, mas com certeza é um excelente filme baseado em quadrinhos! Até o Evans, como já apontado pelo Velho Quadrinheiro, teve uma atuação digna. Samuel L. Jackson de fato estava interpretando ele mesmo, mas o cara definitivamente nasceu pra ser Nick Fury (ainda que nessa versão Ultimate, que claramente foi inspirada no próprio… enfim).
        Aprovado com certeza! Tirou aquele ranço amargo que o primeiro filme tinha deixado!

  3. Pingback: O vaqueiro da liberdade : Capitão América e o destino manifesto | Quadrinheiros

  4. Pingback: Marvel e DC nos cinemas: o cálculo da expectativa | Quadrinheiros

  5. Pingback: A jornada do velho herói: Odisseia de uma geração | Quadrinheiros

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s