Originalidade e nostalgia de Homero à Stranger Things

stranger-things

Porque não é de hoje que o público curte uma referência!

Jorge Luis Borges disse que as histórias de Troia, de Ulisses e de Jesus bastariam, defendendo a tese de que a humanidade, ao longo do tempo, sempre repete suas histórias. Não obstante, a repetição dessas histórias sempre é acompanhada de algum tipo de transformação. Como exemplo podemos citar a maneira como Virgílio sintetiza e atualiza Ilíada e Odisseia em sua Eneida.

Até a Idade Média, uma espécie de lastro de qualidade das histórias contadas era remeter à origem e essa era a acepção da palavra “original”. Quando Dante em sua Comédia escolhe Virgílio como guia para o Inferno e o Purgatório, povoando sua história com elementos de autores clássicos, está usando esse artifício.

A partir da Modernidade esse sentido se modificou. A obra original não é mais aquela que remete à origem, mas aquela que instaura algo novo, que origina algo a partir de si.

Ilíada, Livro VIII, linhas 245-53, manuscrito grego de final do século V/início do VI A.C

Ilíada, Livro VIII, linhas 245-53, manuscrito grego de final do século V/início do VI A.C

Dito de outra forma, a originalidade buscada até a Idade Média tem o sentido de melhoramento da tradição. A partir da Modernidade, a originalidade adquire o sentido da ruptura com a tradição e durante muito tempo essa pareceu ser a originalidade buscada por autores e demandada pelo público.

Mas eis que que a cultura pop está provocando uma volta ao sentido Antigo e Medieval da palavra. Alguns casos servem para ilustrar essa hipótese.

Nos filmes de super-heróis um dos quesitos que atestam a qualidade é a fidelidade em relação aos quadrinhos. Filme bom é aquele que respeita a caracterização dada ao personagem ou história na sua mídia de origem.

Ao recuperar os elementos constitutivos dos filmes originais de Star Wars, J. J. Abrams conseguiu com que seu filme tivesse uma alta receptividade entre os fãs, muito maior do que tiveram os episódios I, II e III.star-wars

O mais recente fenômeno de sucesso do Netflix, Stranger Things, também paga seu tributo às origens nos anos 80, de Stephen King à Steven Spielberg e assim garante seu sucesso.

Nestes exemplos o que está em jogo é a questão da repetição e da performance. Ao remeter ao original, ao repeti-lo, o que se quer é contar a mesma história, mas de maneira melhor. Num certo sentido, é isso o que se busca nos incontáveis reboots, remakes e relaunchs – além de ganhar muito dinheiro com um menor risco ao apostar em franquias de prévio sucesso.

Remeter à origem também é uma forma de despertar nostalgia no público, palavra de origem grega cuja etimologia remonta à duas outras, νόστος, que significa “volta para a casa” e ἄλγος, “dor, sofrimento”, ou seja, uma poderosa força que pode provocar e facilitar o envolvimento emocional do público com a história.

stranger-things-et

Homero, ao escolher Ulisses para sua Odisseia, velho conhecido do público desde Ilíada, sabia disso. Virgílio, ao colocar Eneias (coadjuvante na Ilíada) como protagonista em sua Eneida, também. O mesmo fez Dante com seu Guia, J. J. Abrams ao encerrar seu filme com Luke Skywalker (entre inúmeras outras coisas) e os Duffer Brothers ao pagarem seu tributo aos hits dos anos 80. O prazer de envolver-se com uma boa história parece ser atemporal – ainda que com alguma dose de dor pela perda de um passado tão idealizado quando perdido.

Anúncios

Sobre Nerdbully

Mestre do Zen Nerdismo.
Esse post foi publicado em Nerdbully e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Originalidade e nostalgia de Homero à Stranger Things

  1. Esse texto é tudo de bom ❤

  2. Pingback: Super-heróis, o primeiro recurso dos reis | Quadrinheiros

  3. Pingback: Netflix contra o Mundo: a criatura matará seus criadores? | Quadrinheiros

  4. Pingback: Batman 66 e a sina da estética CAMP | Quadrinheiros

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s