25 regras para o bom pirata, um herói fora da lei

Alguns anos atrás, o mais jovem ramo da minha árvore genealógica (vulgo “Tampinha”) resolveu que era hora de ser fã de algum personagem da cultura popular. Ao lado de bichos peludos, locomotivas falantes ou peixes coloridos, foi hora de eleger um herói, dessa vez humano. Mas sabe-se lá por que, de todos os heróis aos que ele foi exposto, fantasiados ou não, do cinema ou não, brasileiros ou não, a escolha dele foi inusitada.

Ele escolheu Jack Sparrow. Ele escolheu um pirata.

JS

Quisera eu as coisas fossem diferentes. “Um produto de consumo de massas, produzidos por uma facínora indústria de manipulação cultural estrangeira!”, muitos diriam, até com razão. A escolha do tampinha poderia ser outra, talvez mais saborosa aos anseios ideológicos de uma família meio intelectual, meio de esquerda.

Ou talvez… não, talvez a ideia não seja assim tão ruim…

Jack-captain-jack-sparrow

Não, não falo dos piratas de verdade, sujeitos reais que viveram no passado. Com a devida pesquisa é certo que descobriríamos detalhes horríveis de uma casta de traficantes, ladrões, assassinos, rejeitados pela sociedade, reis, sacerdotes e todo poder estabelecido. Caçados, desprezados e exemplarmente executados por governadores de todos os portos de Ceuta a Haifa, de Mumbai a La Serena, de Montevideo à Estocolmo.

"Minha vida é uma sucessão de lugares em que não sou bem vindo" E visitem http://www.loc.gov/pictures/item/92500397/ http://www.loc.gov/pictures/item/92500397/

“Minha vida é uma sucessão de lugares em que não sou bem vindo”
E visitem http://www.loc.gov/pictures/item/92500397/ http://www.loc.gov/pictures/item/92500397/

Aí está o problema. Como foi possível que um sujeito, que para todos os efeitos é um criminoso internacional, fosse alçado à condição de herói em tantas mídias?

Palmas para o Sr. Flynn

Palmas para o Sr. Flynn

Aqui um palpite: o rótulo “pirata”, carregado de um lastro jurídico negativo tremendo, ao mesmo tempo carrega uma das mais fascinantes e contraditórias concepções que uma sociedade pode conceber, a do malandro cínico com coração de ouro.

Obrigado, Hollywood!

Obrigado, Hollywood!

Por pura preguiça, porque a idéia funciona, porque isso é só um blog sobre quadrinhos e cultura pop, não uma tese de doutorado, basta lembrar a imagem do porto pirata.

ShipwreckIsland

Pense bem: Há trapaceiros de todo tipo. Há os mais confiáveis. Há os mais previsíveis. E há também os mais abjetos calhordas, com ou sem toga e medalhão. Há orgulho das tradições, dos livros, das memórias e das leis, mas tudo vale tanto quanto um tostão furado ou um olho de vidro se não convierem à situação.

Em suma, um lugar cheio de Keith Richards

Em suma, um lugar cheio de Keith Richards

No porto pirata há jogos, há música, muita bebida e muita festa. Mas isso não é sem razão. O cidadão do porto pirata tem um senso de sobrevivência bem calibrado e, acima de tudo, de finitude. Ele sabe que as coisas podem mudar a qualquer minuto e, sem notar, saboreia cada momento com paixão, até mesmo os mais grotescos, como a derrota, a doença ou a morte. Mas por tudo isso, ele é um invejável exemplar de adaptação e perseverança.  Mesmo que ele nunca admita isso.

A cultura de massa (ou seja, aquela que escolhe tomar cerveja a vinho francês, embora não recuse aquele de vez em quando), criou outros “heróis piratas” além do Jack Sparrow, apenas um de uma longa linha de heróis. Nem sempre eles estão vestidos a caráter, mas é justamente parte do truque, eles são mais numerosos do que imaginamos.

Não deixe os uniformes enganarem

Não deixe os uniformes enganarem

Bem por alto, além do Jack Sparrow, diria que se enquadram na categoria: Han Solo, Corto Maltese, Jean-Luc Picard, James T. Kirk, Mal Reynolds, Zé Carioca, Pedro Malasartes, Cantinflas, o Vagabundo (Chaplin), Connor McLeod, Chapolin Colorado, Rick Blaine

solo

Os heróis piratas têm algumas características bem claras:

1 – Eles são alunos ou oficiais “rejeitados” por alguma instituição ou “poder” oficial

2 – Eles são indiferentes a grandes causas (se elas convêm a eles, tanto melhor, mas senão, que se fodam)

3 – Eles são quase sempre acusados de serem arrogantes ou egoístas

4 – Eles já perderam mais do que ganharam na vida (do ponto de vista deles)

kirk

5 – Eles são chegados num copo cheio (chá, cerveja, whisky, vinho ou rum)

6 – Eles podem se vestir mal, mas eles têm orgulho do que vestem (e não se importam com a sua opinião)

7 – No fundo eles são pacifistas, não gostam de violência ou armas de fogo (mas são os mais mortíferos se for preciso)

rick

8 – Eles são bons de papo e podem sair de qualquer perrengue na lábia

9 – Eles cometem cagadas monumentais (mas fazem o possível para remediar)

10 – Eles conquistaram o título de capitão (ou de autoridade) por mérito e não por concessão.

11 – Eles têm os amigos mais confiáveis, gente pelos quais eles dariam a vida (e sabem que é recíproco)

chapolin12 – Eles não sabem amar menos do que absolutamente (várias vezes)

13 – Eles têm seus momentos, mas nem sempre são inteligentes

14 – Eles nunca são sinceros (exceto quando são)

15 – Eles têm uma reputação a zelar.

mal

 

 

16 – Eles jamais vão aceitar algo injusto (e pobre do injusto que cruzar o seu caminho)

17 – Eles sempre vão ajudar o lado mais fraco

mazzaropi_0

18 – Eles têm um talento natural pra distinguir o certo e o errado (e não precisam de leis pra saber disso)

19 – Eles sabem que fronteiras são apenas linhas desenhadas num mapa (e todos são iguais em qualquer lugar)

20 – Eles jamais são indiferentes (mesmo que finjam ser)

int-3182

21 – Eles sabem que toda escolha é uma renúncia (e sofrem com cada uma em silêncio)

22 – Eles jamais vão devolver o que foi conquistado.Brazilian_Disney_Ze_Carioca

 

 

 

 

 

23 – Eles jamais vão disputar o que não têm direito

24 – Eles jamais vão amar outra coisa além do que a própria casa, seja ela onde for.

25 – Eles jamais vão querer mais do que ser livres (e nada é tão assustador como a liberdade).

Connor-MacLeod-Ramirez

De todas as maneiras possíveis de descrever o herói pirata, talvez a mais fácil e abrangente é uma só: ele é um solitário. Ele recusa ofertas, chances, oportunidades, causas, bandeiras, amores, em diferentes pontos da vida.

Ele toma as decisões mais difíceis. Está sempre no limiar entre desprezo e admiração e só ele sabe o quanto isso é difícil. É bem provável que ele terá um fim trágico e tenta não perder tempo pensando nisso.

cantinflas

Como ensinaram as viagens, a vida pode ser brutal, injusta e cruel, ele não pode fazer nada sobre isso. Exceto ajustar as velas, salvar o que puder, não devolver nada e sorrir pra morte quando ela aparecer.

Digam o que quiser, como imagem simbólica, o herói-pirata é uma das melhores. Eu acho que o Tampinha escolheu bem. E talvez não haja nada mais brasileiro do que isso.

 

 

 

PS – Na altamente pipoca série de filmes “Piratas do Caribe”, o personagem criado por Johnny Depp é um malandro imprevisível, nada confiável, um sacana ganancioso. MAS, numa cena cortada, aos 25 segundos, o personagem Jack Sparrow diz uma única frase que muda completamente o sentido do pirata e que você pode ver aqui. (Desculpe galera, não achei uma versão legendada, mas não tem segredo)

 

 

Anúncios

Sobre Velho Quadrinheiro

Já viu, ouviu e leu muita coisa na vida. Mas não o suficiente. Sabe muito sobre pouca coisa. É disposto a mudar de idéia se o argumento for válido.
Esse post foi publicado em Velho Quadrinheiro e marcado , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s