O que Star Wars diz sobre o nosso tempo

Star Wars é um pilar da cultura contemporânea, uma grande acerola do Zeitgeist ocidental. Arqueólogos do futuro vão tentar entender a contemporaneidade por meio destes filmes, assim como lemos a Odisséia e a Ilíada de Homero para entender a Antiguidade. Semi-deuses como Aquiles não passam de mitos, assim como a Força não passa de wishfull thinking, nossa vontade de que algo assim exista de verdade. O fascínio é irresistível.

Nos últimos meses, esse fascínio leva fãs a buscarem informações sobre o novo filme em produção, o Episódio VII, sob direção de J.J. Abrams e com previsão de lançamento em dezembro de 2015.

Benedict Cumberbatch, Gary Oldman, Michael Fassbender, Saorise Ronan, Johnathan Rhys Meyers, Ryan Gosling , Zac Effron, Jesse Plemons, nomes que foram todos cogitados, e não confirmados, para estrelarem a nova película ao lado de Mark Hamill, Harrison Ford, Carrie Fisher e Billy Dee Williams. Nesta semana, juntou-se à lista Adam Driver, ator pra lá de desconhecido e que teria conquistado o posto de vilão na nova trilogia, que deve narrar o que aconteceu após a vitória da Aliança Rebelde sobre o Império.

Abrams entende de Zeitgeist. Tal como o fã e sua obsessão com seus ídolos, o diretor é um devoto arquiteto do que presume ser a vontade popular. Não obstante, o cara erra.

Eloquentes como só eles, os autores do MdM lembraram do “teste Brechdel” sobre a relevância da presença feminina nos filmes de Hollywood. Para passar no teste, ou seja, para saber se a personagem feminina tem relevância na trama, Brechdel define 3 regras:

  1. Um filme deve ter duas ou mais mulheres e que devem ter nomes;
  2. Essas mulheres têm que conversar uma com a outra;
  3. Essas mulheres têm que falar de assuntos que não sejam homens ou o alvo de desejo de alguma delas.

Star Wars falha miseravelmente em cada um.

Colin Stokes, falando para o TED, foi ainda além. Partiu de uma problemática crucial: se existe um alto número de mulheres vítimas de violência doméstica, que tipo de homens estão sendo criados pela cultura contemporânea? A reflexão é válida.

Anúncios

Sobre Velho Quadrinheiro

Já viu, ouviu e leu muita coisa na vida. Mas não o suficiente. Sabe muito sobre pouca coisa. É disposto a mudar de idéia se o argumento for válido.
Esse post foi publicado em Velho Quadrinheiro e marcado , , , . Guardar link permanente.

3 respostas para O que Star Wars diz sobre o nosso tempo

  1. Pingback: Guerra dos Roteiristas E12 – Steven Moffat X J. J. Abrams | Quadrinheiros

  2. Pingback: A mente criativa por trás de Jessica Jones | Quadrinheiros

  3. Pingback: Os Omni Ô! (018) – Filosofia em Star Wars |

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s