Avengers Vs. X-Men: é com velho que se bate o novo

A Marvel conseguiu. De novo.

Derrubou a DC e sua ampla reformulação, os Novos 52, em uma única paulada: Avengers Vs. X-Men, série que chegou à sua 5ª edição em junho.

O que chama atenção aqui não é só o número de vendas (aliás também, por acaso). Mas Avengers Vs. X-Men n. 5 é tudo aquilo que a editora do Homem-Aranha, Homem de Ferro e Hulk tem de melhor: heróis bem mundanos, birrentos, sujeitos à situações e forças além da imaginação.

Para esclarecer: o mote da revista é a chegada da Força Fênix, uma entidade que consome planetas como se fosse amendoim, nas proximidades da Terra. Da última vez que isso aconteceu, Jean Grey, a 1ª avatar da Fênix, pirou e exterminou populações inteiras. Suicídio foi a única solução reconciliatória possível (e longe de ser “justa”).

Em Avengers Vs X-Men, os Vingadores lutam pra impedir que tudo aconteça de novo; os X-Men, por outro lado, não aceitam a possibilidade de uma das suas, Hope, a 2ª avatar, ser deliberadamente assassinada pelo Capitão América, Homem de Ferro e cia.

Na última edição, invés de impedir a chegada da Fênix, os Vingadores apenas conseguiram fragmentar a entidade Fênix, que baixou em cinco membros dos X-Men, Ciclope, Emma Frost, Colossus, Namor e Magik.

Agora turbinados com forças cósmicas, sabe-se lá o que os X-Men farão dos Vingadores, mas tudo indica que o desfecho vai ser trágico.

Acima, possível capa da edição n. 12 de Vingadores vs. X-Men

Veja bem, não há nada de novo aí. Essa história já foi contada pelo menos 5 vezes. Fortalecer personagens por períodos limitados é um macete manjado de quadrinhos de super-heróis.

Nos últimos anos, aconteceu o mesmo em A Noite Mais Densa, saga pré-reboot da DC, onde vários heróis ganharam anéis semelhantes ao do Lanterna Verde.

“Juntos somos o Rainbow Lantern Corps”

Ou em Fear Itself, da Marvel, quando o deus Odin distribui marretas biônicas a vários personagens em busca de um digno a substituir seu pimpolho travesso, Thor.

Atrás do Hulk diz-se que há o Chapolin também

Mas de todo modo, Avengers Vs X-Men, série descaradamente criada para derrubar o reboot da DC, é quase como voltar pra casa. As edições aludem a histórias passadas em 1985, como a saga da Fênix Negra, temperadas por eventos recentes, como Civil War,  Messiah Complex e Second Coming, de 2006/2007/2010 respectivamente.

O resultado é um misto de “nostalgia inovadora”, o que em termos de direção editorial, congrega leitores matusas, como eu, e fedelhos ranhentos, ainda em educação criativa.

Opinião minha, ignore como quiser, Avengers Vs. X-Men é aquilo que os episódios I, II e III de Star Wars deveriam ter sido, mas que só valeram pelos ultimíssimos 20 segundos do 3º  filme.

“Garoto, você é o único que pode nos tirar desta merda.”

Anúncios

Sobre Velho Quadrinheiro

Já viu, ouviu e leu muita coisa na vida. Mas não o suficiente. Sabe muito sobre pouca coisa. É disposto a mudar de idéia se o argumento for válido.
Esse post foi publicado em Velho Quadrinheiro e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Uma resposta para Avengers Vs. X-Men: é com velho que se bate o novo

  1. Pingback: Jornada nas Estrelas por Frank Cho « Jetstortopia

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s