Uma aula de quadrinhos com MAUS de Art Spiegelman

3421535_origTalvez você já tenha ouvido falar de MAUS. Mas não importa qual o nível da sua relação com MAUS, ela é sempre surpreendente.

Talvez você seja um admirador do trabalho de Spiegelman e entenda o peso que essa narrativa tem para a legitimação dos quadrinhos como uma linguagem única diante de outras linguagens como o cinema, a literatura e as artes plásticas.

Esse post é uma homenagem, não só ao trabalho magistral de Spiegelman, mas à todos que, como nós dos Quadrinheiros, buscam extrair dos quadrinhos todas as possibilidades de leitura que eles oferecem. Merecidamente fazemos aqui um elogio a um canal de ensaios sobre cultura pop chamado NERDWRITER, capitaneado pelo excelente Evan Puschak. Recomendo vídeos como o que ele fala sobre a técnica de câmera de David Fincher (diretor de SEVEN e mais recentemente da série MINDHUNTER), sobre como o diretor Edgar Wright faz as transições de cena do filme SCOTT PILGRIM, e sobre a participação de Shakespeare em SANDMAN. Mas essas são só pontas do iceberg – vale assistir tudo que ele produz.

Sobre MAUS, Puschak nos mostra uma página da HQ para falar sobre a importância da memória como mola propulsora de uma narrativa sobre um filho que mergulha no passado de seu pai.  O título do vídeo é  “Como desenhar uma página de quadrinho” e o foco do ensaio é o peso que tem para a narrativa a divisão dos quadros na página e os elementos e enquadramentos de cada cena.

MAUS 1

No primeiro quadro da página o personagem de Art Spiegelman vai com seu pai até seu antigo quarto, onde Vladek (o pai) vai se exercitar em sua bicicleta ergométrica. No segundo quadro vemos o quarto de forma mais detalhada, como elementos da juventude de Art, a bicicleta de Vladek, e nesse momento o filho fala sobre a vontade de escrever a história de seu pai (que é a história que temos na mão e estamos lendo). Já estão presentes nesses dois quadros o tema da memória (a história pretendida, que é a memória do pai, e o quarto, que é a memória do filho), além da memória de como nasceu a ideia de escrever a narrativa que lemos.

MAUS 2

O terceiro e o quarto quadros avançam o diálogo entre pai e filho, enquanto Art olha para um retrato e pergunta sobre a Polônia e a guerra (mais memória). O quinto quadro se extende de um lado ao outro da página (dividindo a página), e mostra os dois personagens cercados por marcas do passado (a fala de Vladek que reluta em revisitar sua história, seu número de prisioneiro tatuado no braço e o retrato na mesa ao lado de Art).

MAUS 3

MAUS 6MAUS 4No sexto painel os leitores descobrem que a foto no porta-retrato é de Anja (mãe de Art), e essa informação dá mais profundidade aos quadros três e quatro (nos quais Art olha para a foto e depois olha para seu pai). Os quadrinhos são a única mídia em que o olhar do leitor pode rapidamente revisitar cenas do passado e resignificá-las, já que passado, presente e futuro convivem na mesma página. No sétimo painel Vladek pedala sua bicicleta. A metáfora de uma bicicleta que não leva a lugar nenhum, mas serve de “gancho” para um passeio pelo passado do pai de Art Spiegelman é bastante poética. O último quadro é circular (quebrando o fluxo temporal da narrativa) e mostra a primeira imagem da juventude de Vladek.

Mais do que a progressão da narrativa, quadro a quadro, o design da página de Spiegelman nos mostra qual é o ponto focal de sua narrativa. O corpo de Vladek, pedalando sua bicicleta, girando a roda da memória, descortinando seu passado para nós leitores, aparece como uma mancha central na página, espalhada por diferentes quadros.

MAUS 5

Essa obra que levou 13 anos para ficar pronta, não “aproximou” os quadrinhos de linguagens estabelecidas e reconhecidas como a literatura e as artes plásticas. MAUS é uma história em quadrinhos e as características peculiares dessa linguagem estão presentes em cada quadro e em cada página. Sua alta qualidade narrativa mostra o peso e a complexidade que só a Nona Arte tem, e abriu caminho para que ela não seja considerada menor. Para ler e reler sempre!

Para quem quer ver essa história na narração ensaística de Evan Puschak:

Anúncios

Sobre Picareta Psíquico

Uma ideia na cabeça e uma história em quadrinhos na mão.
Esse post foi publicado em Picareta Psíquico e marcado , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Uma aula de quadrinhos com MAUS de Art Spiegelman

  1. Stefano disse:

    meu sonho é ver 1 HQ abordando Jasenovac (a Auschwitz croata). Jasenovac foi um campo de extermínio criado pelos Ustase (nazis croatas) em 1941. Era um verdadeiro abatedouro e açougue humano.(de dar inveja a Leatherface, Michael Myers e Freddy Krugger)
    As principais vítimas: sérvios, ciganos, judeus e antifascistas.
    Curiosamente os próprios alemães pediram moderação aos subordinados Ustase.

  2. Pingback: Os 25 anos do livro Desvendando os Quadrinhos de Scott McCloud | Quadrinheiros

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s