Quando os quadrinhos são mais sérios que os políticos

Continuando as postagens sobre a relação da política com os quadrinhos, que comecei aqui, venho trazer um tema de extrema importância no cenário político brasileiro (que já está alvoroçado com as eleições e seus segundo turnos): O Mensalão.
 mensalao4

 Se você não sabe do que isso se trata, tem apenas duas desculpas: Estava morando fora nos últimos 10 anos e não acompanhava jornais no Brasil e nem notícias no exterior que referenciassem o Brasil; ou, foi sequestrado por tropas guerrilheiras e passou os últimos 10 anos sem receber qualquer notícia. Como imagino que a minoria das pessoas tenham passado por essas situações, mas mesmo assim ainda não conseguem entender o que é isso, vale uma breve explicação.
O mensalão ocorreu durante o primeiro mandato do governo Lula (apesar de aparentar ser uma prática comum que advinha de antes do governo Lula, conforme indicam artigos como esse aqui ) e consistia em uma rede de corrupção envolvendo o PT e os demais partidos, que tinha como finalidade garantir que os deputados apoiassem as propostas do governo na câmara.
O tema está em alta pois, apesar de estarmos completando 10 anos do começo de “toda essa corrupção” (parafraseando a música pensada em homenagem à Wesliam Roriz, veja o vídeo aqui) , está rolando no Supremo Tribunal Federal o julgamento do caso.
Tendo o nosso atual herói Brasileiro, Joaquim Barbosa, como relator do processo, ou seja, o responsável por analisar e propor a sentença, e o ministro Lewandownski como revisor do processo, ou seja, o responsável por rever e propor uma segunda linha de sentença, é que se baseia o Julgamento. O processo é como se fosse uma grande Ágora (Descubra mais sobre a ágora aqui) de Juízes, uma vez que o relator propõe um sentença, o revisor concorda ou discorda, revisando a sentença proposta, e por fim os demais 9 ministro votam a partir dessa comparação, de forma a criar uma única tese, pensando no sentido dialético.
Joaquim Barbosa Batman

A imagem já descreve. O sentimento de justiça é o mesmo…

Estou narrando tudo isso, mas acho que o trabalho pelo qual eu me motivei a escrever tudo isso pode ser muito mais elucidativo quanto ao caso em si, por isso me detive mais na explicação geral de como está desenrolando o processo, mas o que consta nos autos pode ser entendido com uma pequena obra de grande valor.
No dia 19 de agosto de 2012 foi lançado um encarte, que com o roteiro de Mario Cesar Carvalho, a edição de Diogo Bercito e a arte do indicutível Angeli, em apenas 12 páginas, usando de frases reais do caso, recontando todo o caso com muito mais clareza do que eu na minha pequenez poderia fazer. Pode ser lido na íntegra aqui
Se antes você estava nem aí para a política, espero que esse texto lhe faça pensar um pouco mais.
Fica a dica para acompanhar também o Caso da CPI dos Correios, afinal acreditar que apenas o PT cometeu isso é muita ingenuidade.

Só para dar um gostinho, fica aí a primeira página desse excelente quadrinho

Anúncios
Esse post foi publicado em Sidekick e marcado , , , , , , , . Guardar link permanente.

5 respostas para Quando os quadrinhos são mais sérios que os políticos

  1. ronaldo rossi disse:

    adorei, pqp muito bom cara, parabéns

  2. tzsimoes disse:

    barbosa ainda vai enfrentar o dirceu num corpo-a-corpo no topo do congresso! ou seria na paulista debaixo de temporal? ou ainda: na praia de copacabana, plena ressaca… http://www1.folha.uol.com.br/fsp/poder/61728-o-incrivel-mensalao.shtml

  3. Pingback: O Capital, de Karl Marx, em quadrinhos! Adaptação, discurso e ideologia | Quadrinheiros

  4. Pingback: Quadrinheiros Indicam Ep 11 – O Lixo da História | Quadrinheiros

  5. Pingback: Sobre charges e política | Quadrinheiros

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s