Quem batizou a Era de Ouro dos quadrinhos?

Saiba como o termo surgiu.

O primeiro registro escrito que se tem notícia a respeito da periodização dos quadrinhos em Eras data de 1960 ou 1961, em um fanzine chamado Comic Art, no artigo Re-Birth, de autoria do escritor Richard Lupoff. O artigo fala da importância dos quadrinhos, de sua preservação e relevância. Eis o trecho:

Eles vieram nos trinta, sua era de ouro foi nos quarenta. Eles entraram em declínio nos cinquenta com somente uma flor de desabrochar tardio, a linha EC, que emergiria naquela década.

O critério utilizado por Lupoff parece ser o do volume de produção, apontando para a impressionante quantidade de títulos e vendas estratosféricas do período, dizendo que os quadrinhos de hoje (década de 60) não eram os de 20 anos atrás e duvida que eles seriam tão prósperos quanto os da década de 40. Podemos notar no artigo de Lupoff também uma certa nostalgia quanto aos quadrinhos lidos em sua infância. O próprio batismo do período como Era de Ouro remete à obra O Trabalho e os Dias, de Hesíodo.

Hesíodo postula a existência de Eras para os homens, de Ouro, Prata, Bronze e Ferro. Umas das marcas dessas Eras é justamente uma espécie de degenerescência dos homens, sem possibilidade de recuperação, exatamente como os quadrinhos lidos na infância e adolescência de Lupoff. Como acontece com (quase) todo fã de quadrinhos, Lupoff criou um passado mítico em que tudo na sua época era melhor ao referir-se àqueles quadrinhos como Era de Ouro.

Lupoff não só denominou e delimitou a existência de uma Era, mas também abriu caminho para que se pensassem em outras. Afinal, após ler seu artigo, qualquer um poderia se perguntar Se existe uma Era de Ouro, existiria uma de Prata? Se sim, quando ela começaria?

Lupoff tinha cerca de 25 anos quando escreveu seu artigo e, ao fazê-lo, ele não apenas definiu temporalmente um período e o batizou, mas sugeriu um parâmetro que seria seguido (e ainda é) por fãs, criadores e pesquisadores, ainda que não seja unânime.

***

Esse post é um excerto (com pequenas alterações)  do capítulo “Existem mesmo Eras nos quadrinhos?” do nosso livro A História das Histórias em Quadrinhos: As Eras do Super-Heróis. Clique aqui para adquiri-lo. 

Sobre Nerdbully

AKA Bruno Andreotti; Historiador e Mestre do Zen Nerdismo
Esse post foi publicado em Nerdbully e marcado , , , , , . Guardar link permanente.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s