Robôs: fascínio dos japoneses

Satan Gorth e Daileon

Quem não viu os robôs gigantes japoneses na infância?

Em alguns tokusatsu a presença de robôs gigantes para combater os monstros é um  dos principais elementos. Eles surgem como máquinas tecnologicamente evoluídas, algumas são capazes de voar ou mesmo soltar raios lasers. Suas formas são humanoides e parecem ter personalidade própria, mas são guiadas pelos heróis humanos da história. Essa característica de atribuir emoções para os robôs também é algo que fascina os japoneses, além do desenvolvimento tecnológico.

Um exemplo dessa atribuição de características humanas aos robôs nos tokusatsu é o episódio de Jaspion onde Daileon, seu robô gigante e nave, recarrega sua energia misteriosamente, como que por vontade própria, para salvar o Metal Hero do perigo. Reveja abaixo o episódio completo (mas pode pular para próximo dos 15 minutos só para ver a cena,  vale a pena).

Esse interesse dos japoneses pela tecnologia, provavelmente surgiu no período pós-guerra, em que o Japão precisou se reconstituir tanto como um país, como o povo japonês precisou reerguer o espírito nipônico e, uma das soluções, foi desenvolver o país por meio da tecnologia.

No final da década de 1970 e início de 1980 em diante, os produtos eletrônicos japoneses eram considerados os melhores, em consequência, os mais vendidos. Se estivesse escrito num aparelho eletrônico Made in Japan o consumidor teria certeza que o produto seria de melhor qualidade e teria durabilidade. Foi nesse período também que muitos mangás e animês apostaram em histórias sobre espaço, robôs e as ciências tecnológicas. Pincelaremos os mais destacados tanto no Brasil quanto no Japão:

Patrulha Estelar (Uchū Senkan Yamato): é um mangá, de 1974, criado por Leiji Matsumoto e escrito por Yoshinobu Nishizaki. A espaçonave deste mangá é baseada no famoso navio de batalha, Yamato, utilizado na Segunda-Guerra Mundial. Toda estrutura externa do navio foi mantida, mas o armamento foi adaptado para as novas tecnologias do imaginário japonês que estava circulando o Japão nessa década de lançamento do mangá. Não é uma espaçonave que se transforma num robô, mas que tem tecnologia o suficiente para encarar uma batalha espacial.

Mobile Suit Gundam (Kidō Senshi Gandamu): é uma série de 1979, criada e dirigida por Yoshiyuki Tomino, pois originalmente seu lançamento foi como animação. O primeiro modelo de Gundam foi RX-78-2 é pilotado por Amuro Ray. A relação entre o robô Gundam e Amuro, parece ir além do entendimento entre homem e máquina, Amuro possui uma postura afetiva com seu Gundam, e o espectador acaba vendo a máquina como se estivesse com sentimentos. Esses dois personagens se tornaram muito famosos e até hoje ainda são lembrados pelos fãs de Gundam.

mobile_suit_gundam_(first_589_1680

Guerra nas Galáxias (Chōjikū Yōsai Makurosu): esta série, criada por Shoji Kawamori, também teve o lançamento, em 1982, no formato de animação para depois seguir em mangá. Podemos dizer, que Macross, como é mais conhecido, tem um mix de Yamato e Gundam, pois a espaçonave alienígena Macross tanto é uma nave de guerra como também se transforma em humanoide, porém com pouca movimentação dos membros do corpo. Além dessa espaçonave os caças VF-1 Valkyries, que também se transformam em robô humanoides para melhor combater os alienígenas Zentradi.

Mas além de tokusatsus, animês e mangás, os japoneses parecem se interessar pelas tecnologias não apenas como produtos eletrônicos de consumo como os games, televisões, computadores etc., mas o envolvimento da tecnologia e a sociedade.  Sabemos da fixação dos japoneses por bonecas e travesseiros de personagens de animê e mangá, inclusive de casamento entre esses objetos e os seres humanos, mas também de bonecas eletrônicas, que falam e articulam somente o necessário. Esse mercado está mais direcionado ao público masculino, que por sua vez, comentam preferirem ter esse tipo de relacionamento por não precisarem se estressar com as discussões de casal.

Com isso, o Japão está sofrendo com estas atitudes da sociedade, porque homens e mulheres não estão tendo interesse em se relacionar e constituir uma família, a baixa natalidade se tornou preocupante, pois o mercado de bonecas eletrônicas parece continuar e a evoluir cada vez mais.

Se, para os japoneses, antes eram robôs que lutavam contra monstros mutantes, alienígenas, agora são robôs que proporcionam amor e carinho logicamente calculados.

Sobre Mochi

Atingiu o estado de Olhos Grandes nas ilhas do Oriente Silencioso.
Esse post foi publicado em Mochi e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s