Cinco quadrinhos para que Auschwitz não se repita

“A exigência que Auschwitz não se repita é a primeira de todas”

T. Adorno

Em 18 de abril de 1965 o representante máximo da Escola de Frankfurt e da Teoria Crítica, Theodor Adorno, proferiu a emblemática palestra Educação Após Auschwitz.

A tese de Adorno é simples. Todo esforço educacional deve ter um único fim: que Auschwitz não se repita. Auschwitz não foi a ameaça da regressão à barbárie, mas a barbárie em si, contra a qual deveria agir toda a educação. E alerta: a barbárie continuará existindo enquanto existirem as condições que a geraram. Existiam em 1965, existem em 2020.

A solução proposta por Adorno é aparentemente simples. Promover uma educação voltada para a autorreflexão crítica, que pudesse trazer à consciência os mecanismos que levaram as pessoas capazes de cometer as atrocidades de Auschwitz a fazer o que fizeram, de modo que pudessem ser evitados.

Adorno, crítico inclemente da indústria cultural e seu poder (para ele) irresistível de manipulação das massas, reconhece que transmissões de televisão poderiam ajudar em tal tarefa. Se até o mais ferrenho crítico pôde ver na indústria cultural algum potencial emancipador, creio que me é permitido fazer o mesmo.

O que traz mais uma vez (e quase sempre) aos quadrinhos.

Kafka dizia que um livro tem que ser como um machado para quebrar o mar de gelo que há em nós. Penso que não apenas livros, mas qualquer obra de arte e, por consequência, os quadrinhos também têm esse potencial de quebrar o mar de gelo de nossa insensibilidade, abrindo caminho para uma ação, uma ação para que Auschwitz não se repita, para que não mais seja possível.

Selecionei cinco quadrinhos que de alguma forma denunciam a barbárie na qual estamos quotidianamente imersos e, por isso mesmo, às vezes insensíveis a ela. A mesma barbárie e insensibilidade que tornaram Auschwitz possível.

 

Por Tim Hamilton

(Não entendeu? Clique aqui)

Essa é sua primeira campanha de reeleição, garoto?

 

Por Alan Sieber

 

Por Alberto Benett

(Faltou contexto? Clique aqui para entender melhor)

 

Por Andre Dahmer

Por Carlos Latuff

Sobre Nerdbully

AKA Bruno Andreotti; Historiador e Mestre do Zen Nerdismo
Esse post foi publicado em Nerdbully e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

2 respostas para Cinco quadrinhos para que Auschwitz não se repita

  1. Pingback: Cinco quadrinhos para que Auschwitz não se repita — Quadrinheiros – Mixtureba

  2. stephanogta disse:

    Quero citar um campo bem pior que Auschwitz: o de Jasenovac.
    Jasenovac foi um campo criado pelo regime pró-nazista da Croácia.
    Os crimes cometidos nesse campo pelo Ustasha (fascistas croatas) chocavam
    inclusive as SS e a Gestapo… (aliadas da Ustasha!)

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s