O corpo dos personagens de mangá

Model Sheet de Sailor Moon Super S

O corpo dos personagens de mangá também pode ser considerado como uma característica do quadrinho japonês.

Nos períodos antigos, os artistas procuravam estilizar suas figuras, fugindo dos padrões fiéis à sua semelhança. Nas revistas como Jogaku sekai, não havia a preocupação em desenhar figuras femininas de aspecto semelhante ao real, o que importava era mostrar através das ilustrações a mulher japonesa na sociedade, por isso, talvez, a representação de personagens de mangá, na maioria dos gêneros, seja diferente da do ocidente, por não ter interesse em aproximá-lo  através da sua construção física, mas pelas semelhanças comportamentais e psicológicas.

Revista Jogaku sekai

Outra característica de representar o corpo nos mangás é a forma de linhas espessas e finas, traços mais soltos aparentando figuras femininas menos rígidas e realistas, e seu início pode ter sido com Watanabe Yohei, um dos artistas da revista Jogaku sekai. Acredita-se que é a partir daí que os primeiros estereótipos de personagens para mangás direcionadas ao público feminino figuram no universo dessa arte. As figuras eram mais arredondadas e com as cabeças desproporcionais em relação ao corpo, infantilizando a figura.

Takehisa Yumeji

Com base na ideia de que a cabeça grande, maior que o corpo, tende a infantilizar o personagem criando desenhos em SD (super deformed) ou chibi. Alguns desses personagens que entram no estado SD ou chibi ganham atributos zoomórficos como: rabo e/ou orelha e/ou dente de algum animal como, por exemplo, cachorro, gato e raposa – animais com forte representação na cultura japonesa. Vale pontuar que muitos mangakás se retratam de forma zoomórfica, o que nos faz entender que eles compartilham desse universo imagético.

Magic Knight Rayearth criado e produzido pelo grupo CLAMP

A conformação do corpo no mangá tem um estilo muito característico, sua estrutura é alongada e delgada. A forma alongada do corpo das figuras femininas se deve ao artista Ichijô Narumi (1877 – 1910), que teve fortes influências da art-nouveau francesa e da arte de Ogata Kôrin (1658 – 1716). Precursor também da art-déco no Japão, Narumi tem seus desenhos limpos e sem excessos, foi ele também um dos pioneiros do Jojô-ga, que são ilustrações literárias, mas é um tipo de desenho que nos quais, geralmente, as figuras femininas são representadas com o corpo desenhando um “S”.

Apesar de serem figuras pobres em curvas (como seios e quadris), elas se curvam, sentadas ou em pé, sem se manterem eretas do todo, com os ombros arqueados e o ventre projetado para frente, formando uma figura côncava.

Ichijô Narumi

Muitas dessas características do corpo dos personagens de mangá vieram dos sentimentos dos japoneses que nasceram em consequência da Segunda Guerra Mundial, porém foram superadas nas Olimpíadas de Tóquio em 1960 acompanhadas do crescimento econômico japonês que promoveram. Ou seja, mesmo no mangá, o corpo se tornou uma representação de um país vivo, mesmo depois de uma quase morte.

Anúncios

Sobre Mochi

Atingiu o estado de Olhos Grandes nas ilhas do Oriente Silencioso.
Esse post foi publicado em Mochi e marcado , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s