Lanterna Verde: Setor Final, da premiada N.K. Jemisin

FarSectorUma minissérie com a Tropa dos Lanternas Verdes do selo Young Animal com roteiros de alguém de fora do mercado dos quadrinhos.

Uma nova Lanterna Verde, usando um anel diferente do padrão da Tropa, é enviada para o setor mais distante do universo para mediar o conflito entre três povos que coabitam o mesmo planeta. Um assassinato, o primeiro em 500 anos, é o ponto de partida para uma trama complexa,  diálogos incríveis, personagens cheios de camadas, sexo, inteligência artificial e memes de gatinhos.

A roteirista de Setor Final (Far Sector, no original), N. K. Jemisin, foi a primeira pessoa a vencer a categoria principal do Prêmio Hugo três vezes consecutivas (2016, 2017 e 2018), pelos livros da trilogia A Terra Partida (que também levou os prêmios Nebula e Locus). Por tudo isso ela é considerada uma das mais importantes escritoras de ficção e fantasia da atualidade. O discurso dela ao receber o Hugo em 2018 é um soco no estômago do mercado editorial dos EUA. Pra ler a tradução desse discurso (tem o vídeo também), e entender o contexto de controvérsia e sabotagem que envolvia a premiação, leiam o texto da sempre ótima Lady Sybilla no blog Momentum Saga. Em tempo – Setor Final ganhou o Prêmio Hugo de melhor narrativa gráfica em 2022.

Numa entrevista para o site Entreteniment Weekly, N. K. Jemisin fala da parceria com Jamal Campbell. O artista de Naomi (criada pelo Brian Bendis), foi o responsável por transformar o texto da roteirista, que nunca havia trabalhado com uma mídia visual, numa sequência de imagens coerentes. Ela afirma que abriu mão da tentativa de controlar determinadas cenas de ação depois de ver a solução de Cambell para as páginas das primeiras edições. Apesar de algumas cenas de abertura, que servem de contextualização para a história, não funcionarem tão bem quanto outras (a emulação de filmes como Matrix, e gêneros como romance, são menos efetivas que os relatórios dos Guardiões de Oa, para essa abertura), e de alguns cortes abruptos de cena ao longo da história, a arte é muito eficiente para a narrativa.

Far Sector 2

O roteiro nos mostra pequenos momentos do passado de Sojourner Mullein, a nova Lanterna Verde, só o suficiente para ficar claro que existem diferentes tipos de força de vontade, e que a força dela é peculiar. Ao mesmo tempo a Guardiã Nemosyni, que recrutou Mullein, entregou para ela um anel limitado por um tempo limitado, criando tensão e expectativa cada vez que a novata tem que usar seus poderes. O cenário é bastante complexo e demora algumas edições para o leitor entender melhor as intrincadas relações entre os três povos em conflito. Tem um pouco de Matrix (red pill), um pouco de Dr. Who (como a habilidade retórica da protagonista sendo decisiva para o desfecho), um tanto de A Fundação (psico-história pra todo lado), e de A Mão Esquerda da Escuridão (da autora Ursula K. Le Guin, com a ideia de que a biologia alienígena questiona nossas concepções de gênero). Um passeio pelo que há de melhor na ficção científica.

A distância do cenário (afinal é o setor mais distante) e a limitação dos poderes de Jo Mullein mantém todo o panteão da DC afastado, o que faz com que a solução para a história tenha que se dar dentro daqueles elementos que nos foram apresentados ao longo das 12 edições, e isso é muito positivo para a série.

Far Sector 003

Apesar de ser uma minissérie do selo Young Animal, a personagem já fez participações em diversos títulos mensais da editora, e é uma das promessas da renovação que a DC faz atualmente no seu universo – ou multiverso, com os lançamentos de Estado Futuro. Nas edições mais recentes do título principal dos Lanternas Verdes, o papel de Mullein, a missão especial designada a ela pela Guardiã Nemosyni, e as caracteríticas únicas do seu anel, são explicadas, aumentando a importância de Setor Final para a o futuro dos policiais do espaço.

A Panini publicou o quadrinho em duas partes em 2021. Se quiser conhecer mais a autora, há outras publicações de N. K. Jemisin já traduzidas: a já citada trilogia A Terra Partida, a trilogia Legado e os livros Nós somos a cidade e Lua de sangue.

naomi jo mullein

Sobre Picareta Psíquico

Uma ideia na cabeça e uma história em quadrinhos na mão.
Esse post foi publicado em Picareta Psíquico e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s