O retorno de He-Man e a força da nostalgia

Pelos poderes de Grayskull! Eu tenho a Força!

Se você nasceu ou cresceu nos anos 80 certamente leu a frase acima com a voz de Garcia Júnior, responsável pela voz de He-Man no Brasil. E não sem uma certa dose de nostalgia.

Parece que nós, crianças dos anos 80, nos recusamos a deixar para trás a nossa infância. E do mesmo modo que souberam explorá-la para aporinharmos nossos pais para que nos comprassem os brinquedos do desenho, hoje exploram nossa nostalgia com toda uma nova gama de produtos: duas novas séries pela Netflix, Masters of the Universe: Revelation, produzida por Kevin Smith, que será uma espécie de sequência ao desenho dos anos 80, e He-Man and the Masters of the Universe, com histórias inéditas.

Mas não é só isso – como diria aquele narrador de comerciais de produtos inúteis.

Ainda temos duas coleções de brinquedos pela Mattel, a versão vintage (igual a vendida na década de 80 aqui pela Estrela) e a versão origins (inspirada nos bonecos originais, mas não exatamente igual).

Como bem sabia o homem mais inteligente do mundo em Watchmen, Adrian Veidt, nostalgia vende em tempos de crise. Como aponta o historiador Raoul Girardet:

“toda evocação de uma idade de outro qualquer parece, com efeito, repousar sobre uma única e fundamental oposição: a do outrora e do hoje, de um certo passado e de um certo presente. Há o tempo presente e o que é de uma degradação, de uma desordem, de uma corrupção das quais importa escapar. Há, por outro lado, o “tempo de antes” e o que é de uma grandeza, de uma nobreza ou de uma certa felicidade que nos cabe redescobrir” (Mitos e Mitologias Políticas, Raoul Girardet, p. 105).

Você pode ver essa discussão melhor trabalhada no vídeo abaixo:

 

Mas será que é apenas isso? Uma fuga? Em tempos incertos simplesmente criamos um passado “em que tudo era melhor” e tentamos nos refugiar nele para negar o presente que nos atormenta?

Ou buscamos no passado as respostas que tínhamos muito claras quando éramos crianças? A volta ao passado como a procura de algo que perdemos quando adultos? Como naquele filme de Bruce Willis, Duas Vidas

A criança que você era teria orgulho de quem você se tornou?

Enquanto pensa nessas questões (ou não), eu te convido a ouvir o programa A Hora do Gibi que foi ao ar em 05/04/2020, em que falamos sobre essa grande franquia dos anos 80.  Atualmente o programa encontra-se em hiato, mas você pode ouvir todos os episódios aqui. 

Sobre Nerdbully

AKA Bruno Andreotti; Historiador e Mestre do Zen Nerdismo
Esse post foi publicado em Nerdbully e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s